Concurso SPR-AIRP

Regulamento 2021

O Concurso SPR-AIRP de Correlação Imagem-Achados Anatomopatológicos em Casos Científicos é realizado pela Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR) em parceria com o American Institute for Radiologic Pathology (AIRP) há 20 anos e premia anualmente seis pessoas com benefícios para participação no Curso de Quatro Semanas (Four-Week Course), em Maryland, nos Estados Unidos.
Médicos(as) residentes e especializandos(as) em Diagnóstico por Imagem de toda América Latina podem se inscrever no concurso de 03 de maio a 29 de julho de 2021. Para isso, devem atender aos pré-requisitos deste regulamento e preparar um caso científico clínico/cirúrgico com comprovação anatomopatológica e que ilustre a correlação entre os mesmos. Ainda que outros profissionais tenham colaborado com a preparação deste material, apenas um(a) médico(a) residente ou especializando(a) poderá se inscrever como autor(a) concorrente.
• Ser membro ativo da SPR;
• Estar em atividade em residência médica ou estágio em radiodiagnóstico;
• Apresentar um ofício em que um docente ou responsável pelo serviço assegure conhecer o caso inscrito no Concurso e autorize a doação do material à SPR e ao AIRP;
Ter participado do 25º Curso de Atualização em Imagem da SPR (Prof. Dr. Feres Secaf) – Edição 2021 Online
• Estar inscrito na 51ª Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2021).
O caso científico clínico/cirúrgico deve ser submetido ao concurso em três formatos: I (caso relatado em arquivo word, com texto e imagens) e II (caso descrito em powerpoint) para avaliação da comissão científica da SPR, e III para publicação no Caderno 2, encarte científico do Jornal da Imagem. Mais detalhes sobre esses formatos estão descritos mais adiante neste regulamento.
O(a) autor(a) deve enviar junto com o trabalho um ofício em papel timbrado da instituição no qual um docente ou responsável pelo serviço assegure conhecer o caso inscrito no concurso e autorize a doação do material à SPR para publicação e ao AIRP para inclusão no banco de casos da entidade. Se o(a) autor(a) desejar submeter este material para outra publicação científica, não há restrições por parte da SPR e do AIRP, desde que isso seja feito após o Concurso.

A seguir, um modelo para o ofício:
 
Eu, (nome do docente ou responsável), (cargo do docente ou responsável), do(a) (nome da instituição), asseguro conhecer a apresentação científica (nome do caso), que está sendo inscrita pelo(a) residente (nome do autor do caso), no Concurso SPR-AIRP 2021, e autorizo a doação do material à SPR para publicação e ao AIRP para inclusão em seu banco de casos científicos.
O(a) autor(a) deverá fazer o upload do caso científico em uma plataforma virtual até 29 de julho de 2021. Detalhes sobre o processo de submissão serão informados em abril.
Na primeira quinzena de agosto de 2021, a comissão científica do concurso selecionará os oito melhores trabalhos submetidos à SPR para a fase final, que acontecerá durante a JPR 2021, no dia 22 de setembro. Nesta ocasião, os selecionados apresentarão à comissão e a um representante do AIRP o trabalho oralmente em português, com slides em inglês. Após essas apresentações, os avaliadores da SPR e do AIRP classificarão os finalistas do 1º ao 6º lugar. 
1º e 2º lugares: passagem custeada pela SPR com apoio da Bayer e inscrição no curso oferecida pelo AIRP;
3º lugar: inscrição no curso oferecida pela SPR e pelo AIRP;
4º aos 6º lugares: 70% de desconto na inscrição do curso, benefício oferecido pelo AIRP.

Devido à pandemia da COVID-19, os cursos presenciais do AIRP estão suspensos, mas deverão ser retomados em 2022. Caso o(a) ganhador(a) deseje usufruir do prêmio antes disso, ele pode realizar o curso online.
Formato I – Relato do caso em Word, com texto e imagens

Formato II – Apresentação do
trabalho em slides (PPT)

Formato III – material
para publicação no Jornal da Imagem
Colocar somente o nome do autor principal Colocar nome do autor principal e demais colaboradores do caso
Ocultar o nome da instituição, do local de pesquisa (centro, serviço, departamento, residência), do médico solicitante dos exames e de qualquer outro profissional envolvido na preparação do material.  Deve-se incluir o nome da instituição e da área (subespecialidade) do caso
Ocultar a identificação de pacientes, seja em imagens, exames, textos, etc. 
O(A) autor(a) que descumprir essa regra será desclassificado(a).

Erros de português e má organização do texto prejudicarão a avaliação do trabalho, que pode até ser desclassificado se os erros forem básicos.
Ocultar a identificação de pacientes, seja em imagens, exames, textos, etc. 

Erros de português e má organização do texto prejudicarão a avaliação do trabalho, que pode até ser desclassificado se os erros forem básicos.
Parte a – Texto em português, em documento word, descrevendo:
I. Título do trabalho;

II. História clínica simplificada com sinais e sintomas, história pregressa do(a) paciente de relevância para o caso atual, dados do(a) paciente como idade, sexo, cor e etnia, achados laboratoriais importantes;

III. Hipóteses diagnósticas e como os achados dos métodos de imagem foram relevantes para o direcionamento diagnóstico e tratamento;

IV. Relato do caso clínico, descrição de dados da doença e tratamento, se houve procedimentos intervencionistas - diagnósticos e/ou terapêuticos - tais como biópsia(s), cirurgia(s) e seus tipos;

V. Diagnósticos diferenciais e correlação dos achados de imagem;

VI. Desfecho do caso e diagnóstico anatomopatológico definitivo, citar evolução do(a) paciente após o tratamento;

VII. Leitura sugerida ou referências bibliográficas de pelo menos três artigos.

Parte b – Imagens:
I. Inserir imagens ilustrativas do caso, com setas e legendas, demonstrar a correlação radiologia/patologia (radiografias, imagens de TC, US, IRM, MN, PET, angiografias etc.);


II. Incluir nas legendas o método de imagem e a descrição do(s) achado(s) (Imagem de TC, coronal, fase sem contraste, fase arterial, portal, etc. ou imagem por IRM, ponderada em T1 FSE sem/com contraste, T2 FSE, STIR etc. demonstrando massa heterogênea em glândula supra-renal direita e deslocamento inferior do rim deste lado);

III. Inserir imagens ilustrativas da macroscopia e/ou microscopia (fotografia do espécime; fotografia da endoscopia/laparoscopia etc.; fotografia intraoperatória ou fotografia da necropsia), todas com setas e legendas sucintas;

IV. Pode-se adicionar ao trabalho materiais da anatomia patológica, como imagens da lâmina ou blocos de parafina;

I. O(A) autor(a) deve preparar uma versão do caso clínico em PowerPoint (PPT) em inglês, com texto objetivo, didático e organizado. Recomenda-se que o trabalho tenha no máximo 30 slides.

II. O formato II é uma forma resumida, porém didática, do formato I, e deve seguir os mesmos critérios já apresentados.

III. Na apresentação final, o(a) autor(a) poderá citar nos slides a instituição, os(as) mentores(as) e colegas que contribuíram para o desenvolvimento do trabalho.
Parte a – Texto em documento word, em português, contendo:

I. Título do trabalho;

II. Nome(s) do(s) autor(es): são permitidos até seis autores(as). Deve-se citar o serviço e/ou instituição de origem do caso clínico e a subespecialidade.

III. História clínica com descrição sumária dos dados mais relevantes da história do(a) paciente. Não citar nome ou iniciais do(a) paciente. Tamanho: de 300 a 600 caracteres (a contagem de caracteres em editor de texto considera os espaços).

IV. Diagnóstico final sem descrição.

V. Discussão dos achados de imagem do caso clínico/cirúrgico apresentado, além da correlação com dados de literatura, clínica e de imagem. Os autores devem descrever e discutir os aspectos mais relevantes para o diagnóstico e se os mesmos impactam a evolução do(a) paciente. Pode-se mencionar algum método de imagem emergente que porventura não tenha sido empregado no cuidado com o(a) paciente em questão. No último parágrafo pode-se discutir os padrões anatomopatológicos, quando for o caso, e resumo do tratamento e prognóstico.

VI. Leitura Sugerida ou Referências Bibliográficas de ao menos três artigos científicos.

VII. Tamanho total do documento: de 3.000 a 3.500 caracteres, incluindo as referências bibliográficas (a contagem de caracteres em editor de texto considera os espaços).

Parte b – Imagens e Legendas:

I. Imagens: enviar em formato JPG, individualmente, com no mínimo 300 dpi de resolução, e pelo menos 1024 pixels de largura (ou 8,67cm) e 768 pixels de altura (ou 6,5 cm);

II. Quantidade de imagens: de 4 a 5 no máximo (não serão aceitas imagens duplas). Os arquivos devem estar denominados como Figura 1, Figura 2, Figura 3, etc;

III. Legendas: enviar num arquivo de texto à parte, de forma que possam ser facilmente relacionadas às figuras. Tamanho das legendas: de 100 a 150 caracteres cada.